terça-feira, 18 de outubro de 2011

FICHA DE INSCRIÇÃO PARA O CURSO COLETIVO DA JUVENTUDE

FICHA DE ISNCRIÇÃO


NOME:_________________________________________________________________________________________

DATA DE NASCIMENTO: ____ / ____ /_____               MUNICÍPIO, COMUNIDADE...:___________________________

 _______________________________________________________________________________________________

GRUPO OU MOVIMENTO: _________________________________________________________________________

E-MAIL: ________________________________________________________________________________________

TELEFONE:_____________________________________________________________________________________

                                             Coletivo da Juventude Campo e Cidade
                                             Território do Alto Sertão de Sergipe

FICHA DE INSCRIÇÃO

NOME:________________________________________________________________________________________

DATA DE NASCIMENTO: ____ / ____ /_____               MUNICÍPIO, COMUNIDADE...:___________________________

 _______________________________________________________________________________________________

GRUPO  OU MOVIMENTO: _________________________________________________________________________

E-MAIL: ________________________________________________________________________________________

TELEFONE:_____________________________________________________________________________________

                                             Coletivo da Juventude Campo e Cidade
                                             Território do Alto Sertão de Sergipe
FICHA DE INSCRIÇÃO

NOME:_________________________________________________________

DATA DE NASCIMENTO: ____ / ____ /_____               MUNICÍPIO, COMUNIDADE...:___________________________

 _______________________________________________________________________________________________

GRUPO OU MOVIMENTO: _________________________________________________________________________

E-MAIL: ________________________________________________________________________________________

TELEFONE:_____________________________________________________________________________________

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

CONVITE



Coletivo da Juventude Campo e Cidade
                         Território do Alto Sertão de Sergipe


CONVITE
Olá Juventude,
Hoje, temos a grande alegria de convidar você a participar do Seminário da Juventude Campo e Cidade que acontecerá no dia 05 de novembro do corrente ano no horário das 8:00 às 13:00h no Centro de Formação Territorial Ana Patrícia que fica localizado no Povoado Lagoa Redonda-Porto da Folha. O Seminário terá como objetivo lançamento, apresentação e discussão do 2º Programa de formação para juventude do Campo e da Cidade deste território.
Na oportunidade socializaremos a experiência do Coletivo de Juventude que é uma articulação dos jovens de diversos movimentos e organizações sociais do campo e da cidade que buscam estudar e compreender a sua história e realidade concreta, reivindicar políticas publicas e sobre tudo acumular forças pra lutas populares a partir da sua ação comprometida com o processo de transformação e de emancipação do povo sertanejo. Nesta perspectiva refletiremos os nossos desafios e potencialidades no processo de construção desse espaço organizativo e de luta tão importante para juventude do Sertão.

SOBRE O CURSO DE FORMAÇÃO POLITICA PARA JOVENS


Objetivo: Contribuir com o fortalecimento dos processos de luta, de formação e de organização da juventude do Território do Alto Sertão


Quem participa: Jovens que estejam envolvidos em grupos: comunitários, de jovens e culturais, movimentos, organizações sociais e estudantes que desejem se envolverem em processos organizativos da juventude e que tenham disponibilidade para participar de todas as etapas do curso. 


Como e onde acontece: O curso será realizado em 09 etapas presenciais aos finais de semana com duração de 02 dias, sendo que a chegada será sempre na sexta-feira à noite. Entre os momentos previstos no processo formativo: oficinas, estudos em grupos, exposição teórica, atividades de arte e culturais, tarefas coletivas, individuais e planejamentos. A formação assegurará certificado, hospedagem e alimentação para todo\a participante. O local de realização da formação mensal, prioritário é o Centro Ana Patrícia em Lagoa Redonda

Data de Inicio – 1º etapa: 18, 19 e 20 de Novembro de 2011.


Inscrições: Os interessados deverão se inscrever até o dia 10 de novembro de 2011 a partir do contato com os membros do coletivo ou pelos contatos expostos no rodapé desta carta.



Realização: Coletivo da Juventude Campo e Cidade do Território do Alto Sertão


Aproveitamos esse momento para pedir sua contribuição no que se refere à divulgação e a articulação para juntos vivenciarmos esse processo tão significativo e necessário a juventude sertaneja

Na certeza de nos encontramos no Seminário e no Curso de formação, com alegria te aguardamos.


Coletivo da Juventude
Alto Sertão de Sergipe




Coletivo de Juventude Contatos:
 (079)9969-5358(Elielma); 9897-3109(Milena); 9806-8733(Aniele); 9984-6524(Iudo); 9967-8869(Rafaela)
barros_elielma@hotmail.com \ milena-fe@hotmail.com \ Blog: coletivodajuventude.blogspots.com
aniellyresende@hotmail.com


quarta-feira, 28 de setembro de 2011

ÊXODO RURAL E A JUVENTUDE

Êxodo rural entre a juventude se agrava no Brasil                               Rachel Duarte


Debate antigo, o êxodo rural de jovens é uma realidade cada vez mais presente no Brasil. O desenvolvimento territorial está afetando diretamente esta camada da população, que se vê em constante dilema pessoal entre o campo e a cidade. Ao chegar aos centros urbanos, muitos ficam vulneráveis e não raro são tentados ao mundo do crime. Autoridades federais e gaúchas iniciaram um novo processo de redefinição das políticas públicas necessárias para atender de forma igualitária a juventude rural e urbana. O primeiro debate ocorreu nesta segunda-feira (26) na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.
Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entre 1996 e 2006 o número de jovens com até 29 anos que deixaram o campo chegou a três milhões. “Nos jovens rurais está depositada a continuidade da atividade agrícola das famílias do campo, que são responsáveis pela capacidade produtiva do país e em manter a soberania alimentar do Brasil”, alerta a coordenadora de Desenvolvimento Humano do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Ana Tereza Ferreira.
O principal problema da migração dos jovens para o campo é a falta de acesso a bens culturais e a falta de autonomia no campo, explica a coordenadora. “O campo envelheceu e os jovens rurais também querem ter acesso aos bens das demais juventudes. Na sua atividade no campo eles não são autônomos e precisam dividir a renda com o pai, dono da propriedade. Com as mulheres a subordinação é ainda maior”, salienta.
Ainda de acordo com o IBGE, os jovens brasileiros entre 15 e 29 anos têm um nível de escolaridade 50% maior do que os que moram no campo. A diferença entre os analfabetos é seis vezes maior no meio rural, por isso, a busca para uma vida melhor na cidade está na esperança de uma elevação da escolaridade.
O jovem não é marginalizado apenas pela escassez de incentivos para uma melhor vida e autonomia no meio rural. Outro fator é a expansão desordenada de territórios periféricos no último período. De acordo com o representante da Secretaria Nacional de Programas Urbanos do Ministério das Cidades, Marden José de Andrade, desde a década de 70 até 2007, mais de 150 milhões de habitantes passaram a viver nos centros urbanos. “Atualmente, 40% da população brasileira vive em regiões metropolitanas. Nestes aglomerados o crescimento populacional é desordenado e facilita para a escassez de serviços públicos”, justifica.
Segundo ele, estão previstos no Orçamento da União para 2012, recursos específicos para resolução de conflitos fundiários urbanos. “Criamos a Política Nacional de Prevenção a Conflitos Fundiários Urbanos e queremos evitar estes conflitos”, explica.

Tags:

terça-feira, 20 de setembro de 2011

A PAUTA APRESENTADA PELA JUVENTUDE DA VIA CAMPESINA.


VIA CAMPESINA BRASIL

Secretaria Operativa
Rua Thomas Edison, 301, Barra Funda
São Paulo/SP - CEP 01140-000
Fone/Fax: (11) 3392 2660
Correio Eletrônico: viacampesinabrasil@gmail.com

 



ABEEF – CIMI    CPT    FEAB    MAB    MPA    MMC  – MST –  PJR    MPP


REIVINDICAÇÕES  DA VIA CAMPESINA BRASIL PARA SECRETARIA DE JUVENTUDE


AGOSTO DE 2011

  1. Acesso a Terra:
·         Acesso a Terra por meio da Reforma Agraria e o assentamento imediato das 100 mil famílias acampadas.
  1.  Trabalho e Renda:
·         Estimular a organização da produção cronstruindo e fortalecendo  as cooperativas, as associações e/ou grupos de produção
·         Construção de um crédito não bancário para possbilitar a juventude se inserir no processo produtivo
·         Criação de um programa de Agroindústria para os assentamentos, priorizando a juventude das comunidades camponesas, indígenas, quilombolas, assentamentos e reassentamentos na produção, comercialização e benficiamento da produção
  1. Educação
·             Programa Nacional de Construção de Escolas do Campo de nível fundamental, médio e construção de Institutos Federais nas comunidades camponesas, assentamentos e reassentamentos;
·              Aceitação por parte do MEC da declaração de dominialidade do INCRA - para a construção de escolas;
·             Plano Nacional de Recuperação e Ampliação das escolas com até 200 estudantes, garantindo bibliotecas, telecentros, quadras poliesportivas e anfiteatro;
·             Construção de creches no campo com padrões de estrutura adequado a realidade do campo e a demanda existente
·             Nucleação de escolas deve ser intra-campo com garantia de transporte escolar de qualidade;
·             Organizar uma estratégia para a superação do analfabetismo no campo, contemplando a alfabetização e a escolarização dos jovens e adultos
·             Garantir um programa de formação continuada de educadores do campo, por níveis e modalidades, e publicações.
·             Estabelecer um formato diferenciado para as escolas de ensino médio, contemplando um currículo especial e o tempo integral/integrado (politécnica);
·             Publicar lei/normativa proibindo o fechamento de qualquer escolar do campo até que os programas de reforma, ampliação e construção comecem a funcionar;
·             Garantir o piso nacional para os profissionais da educação, estabelecendo uma gratificação mínima de 50% para os profissionais que atuam no campo;
·             Garantir a contratação de educadores e mestres da cultura popular para o fortalecimento da cultura camponesa e da educação do campo;
·             Legalização/reconhecimento imediato dos cursos de licenciatura em Educação do Campo;
·             Suplementação dos recursos do PRONERA para os cursos que já estão e andamento e para os novos cursos
·             Inclusão nos concursos públicos de educadores formados nas licenciaturas em educação do campo
·             Programa de educação do campo para as escolas itinerantes (pagamentos de professores, formação dos educadores, material didático, infra-estrutura móvel )

4. Cultura, Comunicação, Esportes e Saude
  • Construção dos centros culturais com: Ciniteatro, Auditório, Salas de oficinas, Sala para criação audiovisual, nas comunidades camponesas, assentamentos, reassentamentos e acampamentos. A exemplo das praças do PAC.
·         Construção de quadras de esportes e centros comunitários nas comunidades camponesas, assentamentos, reassentamentos e acampamentos.
·         Garantir acesso e produção aos bens culturais (criação de radios comunitárias no campo), ampliando o Programa Pontos de Cultura para as nas comunidades camponesas, assentamentos, reassentamentos e acampamentos.
  • Programa esporte e lazer no campo: Pagamento de profissionais da área, formação de educadores, material esportivo, infra-estrutura
·         Extensão do Programa Nacional de banda larga (PNBL) para o campo, com a construção e melhoria de telecentros em todas as escolas das comunidades camponesas, assentamentos, reassentamentos e acampamentos.  com monitoria dos jovens das próprias áreas;
  • Construção de bibliotecas e videocas comunitárias e a acervo com temas literários, científicos e filosóficos, e ainda, materiais com ênfase nas questões agrárias.
·         Garantir a construção de unidades de saúde;






Coordenação Nacional da Via Campesina Brasil
Associação Brasileira dos Estudantes de Engenharia Florestal - ABEEF
Conselho Indigenista Missionário – CIMI
Comissão Pastoral da Terra – CPT
Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil – FEAB
Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB
Movimento das  Mulheres Camponesas – MMC
Movimento dos Pequenos Agricultores – MPA
Movimentos dos Pescadores e Pescadoras Artesanais – MPP
Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST
Pastoral da Juventude Rural – PJR

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Momentos de Formação Politica no Centro Ana Patricia




video


         Luta pela implantação do Campus da Universidade Federal de Sergipe no alto sertão.

O território do alto sertão sergipano é marcado por profundas contradições. Se por um lado temos o menor índice de desenvolvimento humano, por outro, somos o maior produtor de leite do estado e o segundo maior produtor de grãos. Possuímos ainda a maior área territorial e o segundo maior PIB. Aliados a isso, temos características físicas e biológicas específicas, como a vegetação de caatinga, o clima semi-árido e a presença de espécies endêmicas, o que faz o sertão se diferenciar de qualquer outra região do estado de Sergipe.
Infelizmente, fomos historicamente apresentados pelos livros de história como a região da pobreza, da sede e do êxodo rural. Tudo isso é explicado pela marca deixada pelo latifúndio, pelos “coronéis” e pela ausência de políticas publicas comprometidas com a qualidade de vida da população.
Sendo assim, defendemos e estamos em luta permanente pela instalação urgente de um Campus da Universidade Federal de Sergipe em terras sertanejas. Acreditamos que isso possibilitará a nossos filhos a oportunidade de continuar os estudos e melhorar de vida. Tão importante quanto, é a necessidade que nossa terra tem de ter uma instituição publica e de qualidade que possa colocar suas pesquisas e estudos a serviço da melhoria de vida de nossa população, desenvolvendo e socializando tecnologias apropriadas a nossa realidade e dialogando com os sonhos de nossa gente.
A implantação do Campus da UFS no Alto Sertão já é um projeto previsto no plano de expansão da UFS, que tem crescido, mas com dificuldade de interiorização. Portanto temos a reitoria da universidade como aliada do povo, que já se mobiliza.
Esta mobilização teve inicio em 2005/2006, que numa demonstração de compromisso da população foi coletada mais de 40.000 (quarenta mil) assinaturas em todo médio e alto sertão e as entregou nas mãos do então Presidente LULA, demonstrando o anseio de todo o povo sertanejo em prol da extensão do referido Campus.
Lembramos ainda, que a nossa Presidenta Dilma fez compromisso com o povo sertanejo, afirmando que, se eleita fosse, o sertão sergipano teria a bacia leiteira revitalizada, bem como, implantaria o Campus da UFS no sertão. Já em fevereiro de 2011, fomos ate a tribuna da assembléia legislativa do estado e apresentamos aos deputados o nosso desejo, conseguido de todos os presentes o compromisso com essa luta.
Desta forma, convocamos a toda sociedade sergipana a se empenhar nessa luta. Apenas com o povo organizado e com a classe política convencida e determinada, conseguiremos corrigir o erro histórico da condenação do povo sertanejo ao esquecimento.

visita no assentamento Jacaré Curituba



sábado, 16 de julho de 2011

Caminhadas de Mobilizações para macha da UFS no sertão


Nesta sexta feira dia 15 de julho, o coletivo da juventude se deslocou até o Assentamento Queimada Grande no município de Poço Redondo, para iniciar os ensaios de Agitação e propaganda que serão utilizados no dia da marcha. Nesta visita os jovens do assentamento fizeram presentes em grande quantidade, assumindo responsabilidade de agitar a marcha no dia 11 de agosto.

O coletivo agradece a toda a juventude do assentamento tendo a certeza que estaremos juntos em vários outros momentos.

Então até o grande dia !!!!